A História

                              Nasceu de uma desavença de Consultores:

                        Começou em uma convenção de meu pai para uma empresa no Hotel Alpino. Meu pai e sua assistente se desentenderam e na volta para São Paulo num táxi do marido da coordenadora do hotel, a Marri, que muito gentil, ofereceu até de ir junto.

                        Passando por Vargem Grande Paulista, ninguém falava nada, até que meu pai o Vargas, falou algo para quebrar o clima:

                       "  Um dia vou comprar um terreno nessa região só para cortar o cabelo neste  Salão, engraçado dizia ele, que toda cidadezinha do Brasil tem um salão chamado Silva ".

                      A coordenadora Marri, muito gentilmente, em uma outra convenção apresentou vários anúncios de imóveis na região.

                      Meu pai, então, sem graça e para retribuir a gentileza, resolveu conhecer alguns imóveis, acompanhado por um corretor chamado Sr.Anderson, que pra variar, era enrolado como a maioria dos corretores.

                      O Sr. Anderson levou meu pai em 3 chácaras e disse que primeiro iria levar na pior e depois nas 2 melhores.

                     Quando chegaram na primeira havia uma capelinha e meu pai logo perguntou:

                     "   Qual é a padroeira dessa capela " ?

 

 

                     O Sr Anderson respondeu: " Essa capela é de Nossa Senhora Aparecida ".

                     Meu pai olhou e falou assim: " Essa chácara já é minha, pois quero reformar essa capela, porque sou devoto dela.

                     Isso aconteceu no final de 1986.

                    Assim feito, começamos a construção.

                    Eu, Gerson, por pouco tempo morando em São Paulo, logo mudei para chácara, que não tinha luz, água, somente um casebre.

                    Com muita luta, meu pai trazia o dinheiro e eu ajudando na construção. Em 1 ano conseguimos fazer a mudança definitiva.

                    Com o passar do tempo, meu pai começou a me levar nas convenções, para que eu enxergasse a vida de modo diferente da que eu estava vivendo.

                    Nessas idas e vindas, eu fazia a fatura do meu pai para uma empresa, percebi que ela ficava com 60% e meu pai com 40%.

                    Fiz uma proposta de fazermos um centro de Convenções na chácara.

                   Desconfiado pelas muitas propostas inúteis que eu já havia feito, não deu confiança.

                  Passado algum tempo, um diretor de uma certa empresa, visitou nossa chácara e perguntou para o meu pai, porque ele não montava um centro de Convenções ali.

                  Meu pai logo lembrou da minha idéia de um tempo atrás.

                  Chegou para mim e disse:  "Gerson, você está mesmo a fim de construir um centro de Convenções em sociedade comigo?

                 Acertamos então, ele como sempre entraria com o dinheiro e eu com o trabalho junto aos pedreiros. E assim começamos em 1988.

                 Chegando no ano de 1989, eu conheci uma filha de mineiros como nós, chamada Magali... e nos apaixonamos e com isso formamos uma maravilhosa equipe: a minha sogra que caiu do céu, pilotando a cozinha, eu e a Magali tocando o trem e meu pai, Vargas, lapidando tudo.

                 Infelizmente no dia 26 de maio de 1997, a vida resolve levar o querido Mestre Vargas.

                 De lá para cá eu, minha esposa, minha sogra e toda equipe, damos vida a cada dia do nosso Centro de Convenções e Restaurante de comida mineira chamado "Casa dos Vargas".

 

                                     " Seja bem vindo!

            Pois aqui o importante é você".

  

 

 

                                                                                               

                                                                                                 home